Agesul lança primeiros editais de licitação para conclusão do Aquário do Pantanal

Segundo o vice-governador e secretário de Estado de Infraestrutura, Murilo Zauith, a abertura do processo licitatório antes do previsto "é um verdadeiro presente de aniversário para o município de Campo Grande"

A conclusão da cobertura metálica (no lado direito) e dos pórticos (linhas vermelhas da cúpula principal) serão alguns dos primeiros serviços a ser executados - Edemir Rodrigues

Foram lançados, na edição desta sexta-feira (23) do DOE (Diário Oficial do Estado), os dois primeiros editais de licitação referentes à retomada das obras do Aquário do Pantanal. As publicações do Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos), são referentes à frente de ‘Construção Civil’, que tem como objetivo a conclusão da cobertura metálica e substituição dos vidros.

O vice-governador e secretário de Estado de Infraestrutura, Murilo Zauith, fez referência ao aniversário da Capital, na próxima segunda-feira (26), para celebrar o lançamento dos dois primeiros editais.

“A abertura do processo licitatório antes do previsto é um verdadeiro presente de aniversário para o município de Campo Grande. Estamos cumprindo o compromisso de finalizar este grandioso empreendimento com transparência e agilidade”, assegurou Murilo.

Serão cinco frentes distintas referentes ao processo licitatório. Além da Construção Civil, também constam Suporte à Vida, Instalações Elétricas, Maquinário e Instalação/Manutenção dos Tanques de Acrílico. As próximas licitações serão de conclusão das monocapas dos pórticos vermelhos e dos forros internos do auditório e da biblioteca, todas referentes à frente de Construção Civil.

As publicações desta sexta-feira estão disponíveis nas páginas 163 e 164 do DOE. Para conferir, clique aqui.

Sobre o Aquário do Pantanal

Instalado no Parque das Nações Indígenas, principal cartão-postal de Campo Grande, o centro de pesquisa contará com 32 tanques (24 internos e oito externos) da ictiofauna pantaneira (peixes e répteis), mais de 5,4 milhões de litros de água e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat.

O objetivo é fazer do espaço um centro de referência em pesquisas e, para isso, o empreendimento também terá um museu interativo, biblioteca, auditório com capacidade para 250 pessoas, sala de exposição e laboratórios de pesquisa para estudantes, cientistas e pesquisadores.