Cabeleireira foi assassinada após perguntar se namorado tinha abusado da filha dela

Homem já tem passagens pela polícia. Casal tinha reatado há poucas semanas.

A cabeleireira Érica Aguilar Pereira, 39 anos - Reprodução/Facebook

Antes de ser brutalmente estrangulada até a morte pelo marido, a cabeleireira Érica Aguilar Pereira, 39 anos, tinha acabado de perguntá-lo se havia abusado sexualmente da filha dela, uma adolescente de 14 anos. O crime aconteceu nesta terça-feira (11), em um condomínio do Jardim Campo Nobre, região sul de Campo Grande, distante 138 quilômetros de Aquidauana. O suspeito, conhecido como Biscoito, 38 anos, permanece foragido. As informações são do Correio do Estado.

Segundo o portal, vizinhos relataram que ouviram uma briga em torno das 23h. Já de madrugada, às 03h, a menor correu para pedir ajudar aos moradores da região, avisando que a mãe dela tinha sido morta. A PM (Polícia Militar) foi acionada e encontrou a vítima sobre a cama. A mulher tinha parte da roupa abaixada.

A filha contou que não percebia sinais de anormalidade no convívio familiar. Com dificuldades financeiras, a mulher contava com a ajuda do namorado, inclusive, para os filhos dela, a adolescente de 14 e um menino de 04. O casal chegou a ficar separado por alguns meses, mas havia reatado há poucas semanas. Biscoito já possuía registro de prisão pelo mesmo crime, em 2008, e passagem por tráfico de drogas, mas a cabeleireira não conhecia os antecedentes do namorado.

Discussão e o crime

Pelo fato de que precisaria ficar mais tempo no salão onde trabalha, que também fica no Jardim Campo Nobre, a cabeleireira telefonou para Biscoito e pediu que ele levasse os filhos dela para jantar. No momento em que ele retornou com os menores, a briga começou. Além do relato da própria adolescente, vizinhos também disseram que a agressividade do suspeito foi motivada pela pergunta de Érica sobre ele ter abusado sexualmente da filha dela.

Como o apartamento estava sem energia elétrica, a polícia suspeita que o próprio Biscoito tenha efetuado o corte para invadir o local durante a madrugada. De noite, durante a discussão, a adolescente e o irmão foram dormir sem perceberem qualquer troca de agressão física entre o casal. A menor relatou que o homem saiu enfurecido e afirmou que iria tomar um banho, mas não fez menção de que retornaria. De madrugada, ela acordou com Biscoito colocando as mãos sobre seu pescoço, momento em que assustou e correu para pedir ajuda, de acordo com a delegada Sueili Araújo, responsável pelo caso.

“Falou para ela não gritar e que sua mãe estava dormindo”, disse a delegada ao Correio do Estado.

O caso foi registrado na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), que mobilizou suas equipes, com o apoio da Polícia Militar, para encontrar Biscoito. Ele foi indiciado por homicídio qualificado, entre eles quando praticado contra mulher, feminicídio, e tentativa de assassinato.