Ex-prefeito de Jardim perde cargo em secretaria do governo do DF

Marcelo Henrique de Mello durante evento como subsecretário de Atenção Integral à Saúde do Distrito Federal. (Foto: Campo Grande News)

O ex-prefeito de Jardim, Marcelo Henrique de Mello, perdeu nesta semana o cargo de subsecretário de Atenção Integral à Saúde do Distrito Federal. A demissão ocorreu com base na Lei da Ficha Limpa e de decreto local de 2015, ambos que impedem a nomeação até mesmo em cargos comissionados de pessoas inelegíveis.

Marcelo e o vice, Erney Cunha Bazzano Barbosa, foram cassados pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), após serem acusados de compra de votos, e também ficaram inelegíveis por oito anos, penalidade que só vencerá em 2021. 

O ex-prefeito havia sido empossado no início do ano pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). O caso foi revelado por reportagens e levou o governo, inclusive, a obrigar os indicados a preencherem a partir de agora declaração informando se respondem a processo administrativo ou judicial. 

Marcelo e Erney já haviam tido os diplomas de prefeito e vice-prefeito cassados pela 22ª Zona Eleitoral de Jardim.. Entretanto, eles conseguiram seguir o mandato após a defesa entrar com um pedido que suspendeu a cassação. Não conseguiram reverter a decisão, o que obrigou a cidade a fazer nova eleição.

Na época, a votação no TRE foi unânime e considerou a primeira sentença correta, já que as provas apontavam que Marcelo Henrique entregou cestas básicas a eleitores de Jardim em troca de votos.

Com informações do portal Campo Grande news