Hexa ou título inédito: Seduc e Grêmio Santo Antônio disputam finalíssima do Sub-17 neste sábado

Troféu será decidido no Estádio Municipal Mário Pinto de Souza, o Noroeste, em Aquidauana

Seduc e Grêmio Santo Antônio: os dois melhores time da competição - Regina Caneppele/Grêmio Santo Antonio FC/Divulgação

De um lado, um time que é detentor da maior hegemonia da história do futebol do Estado e tenta o título pela sexta vez consecutiva. Do outro, uma equipe que busca o troféu inédito e venceu o primeiro jogo da decisão por 2 a 1. Seduc e Grêmio Santo Antônio disputam a finalíssima do Campeonato Sul-Mato-Grossense Sub-17 na tarde deste sábado (14), às 15h, no Estádio Municipal Mário Pinto de Souza, o Noroeste, em Aquidauana.

No duelo de ida, no último sábado (07), em Campo Grande, o Grêmio Santo Antônio chegou a abrir vantagem de 2 a 0, gols marcados por Inaldo, mas Pedro Henrique diminuiu para o Seduc e deixou o cenário completamente aberto para o confronto de volta.

O clube da Capital pode empatar para ficar com o título inédito. Por ter feito melhor campanha ao longo da competição, o Colorado Pantaneiro tem a oportunidade de decidir o troféu em casa, mas não possui qualquer vantagem em caso de mesma pontuação e mesmo saldo de gols. Portanto, qualquer vitória do Seduc por um gol de diferença levará a decisão para os pênaltis. Para conquistar o hexa no tempo normal, o time de Anastácio precisará de triunfo por dois ou mais tentos de diferença.

Segundo a FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), a finalíssima terá arbitragem de Carlos Henrique Linhares, auxiliado por Alan Bitencourt e Anderson Ferreira de Matos. Raphael de Souza Cosmo será o quarto árbitro.

O campeão do Campeonato Sul-Mato-Grossense Sub-17 garante o direito de representar Mato Grosso do Sul na Copa do Brasil da categoria e na Taça BH.

Campanha

Novamente treinado por Branco, que esteve presente em todos os títulos de 2014 a 2018, o Seduc tem se destacado desde o início do campeonato. Em nove jogos, são sete vitórias e duas derrotas, 28 gols marcados e seis sofridos (já contando o primeiro jogo da final). O Grêmio Santo Antônio, do técnico Daniel Franklin, outra equipe que tem realizado campanha de destaque, soma 11 partidas, com oito vitórias, dois empates e um revés, 25 gols marcados e 11 sofridos.

O fato de serem os dois melhores time da competição pode ser visto quando a tabela mostra que só perderam ao jogarem entre si. Além do duelo de ida da final, Grêmio Santo Antônio e Seduc se enfrentaram em dois jogos da segunda fase. Em Aquidauana, goleada por 4 a 1 do Colorado Pantaneiro. Em Campo Grande, o Grêmio Santo Antônio deu o troco, mas com uma vitória mais apertada, 2 a 1. Ou seja, dos seis gols sofridos pelo Seduc no campeonato, cinco foram marcados pelo adversário da decisão.

Para completar, as duas equipes chegam à finalíssima dominando o ranking de artilheiros da competição. Os dois primeiros são justamente os que marcaram na partida de ida, Inaldo (Grêmio Santo Antônio), com 12 gols, seguido por Pedro Henrique (Seduc), com 10 tentos.

Hegemonia inédita

Em meio ao desafio de se renovar ao longo dos cinco títulos, à medida em que os jogadores expiram o limite de idade da categoria, o Seduc construiu uma história inédita no Estado e, em caso de sexto título, “dobraria” o tricampeonato profissional do Operário (1979/1980/1981) e dois tricampeonatos Sub-20 do Cene (2000/2001/2002 e 2004/2005/2006), que eram as grandes hegemonias antes do atual domínio do Colorado Pantaneiro no Sub-17 (2014/2015/2016/2017/2018).