Aos 13 anos, ginasta de MS faz história com medalha no Torneio Nacional de Ginástica Rítmica

É a primeira vez que uma ginasta do Estado conquista medalha em uma competição nacional envolvendo clubes de todas as regiões do País.

Lívia Cristiny Parede Brunel: conquista histórica para a ginástica do MS - Divulgação

Com apenas 13 anos, a atleta Lívia Cristiny Parede Brunel conseguiu um feito histórico para a ginástica rítmica de Mato Grosso do Sul. Contando com apoio da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul), ela levou o bronze no individual geral, na categoria infantil, da 24ª edição do Torneio Nacional de Ginástica Rítmica. Segundo a Assumagir (Associação Sul-Mato-Grossense de Ginástica Rítmica), foi a primeira vez que uma ginasta do Estado conquistou medalha em uma competição nacional envolvendo clubes de todas as regiões do País.

O certame foi disputado no Ginásio Poliesportivo Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo (SP), de 17 a 20 de outubro. Estiveram presentes aproximadamente 370 atletas de 76 clubes das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil, que participaram nas disputas individual e conjunto, ambas nas categorias pré-infantil, infantil, juvenil e adulto.

Lívia atingiu a quarta colocação no aparelho corda e a quinta posição nas mãos livres, no nível dois da categorial infantil. A condecoração bronzeada veio no individual geral da categoria, com soma das notas nos dois aparelhos.

“A Lívia fez sua estreia com o pé direito, fazendo duas coreografias belíssimas. Dedicação, persistência e disciplina, aliadas ao talento nato, à graciosidade e à facilidade em se expressar durante as coreografias, fazem parte dos pontos fortes dessa pequena ginasta”, elogiou a técnica Ianka Soares Cebalho.

2019 é o primeiro ano em que Lívia participa de competições fora do Estado. Em agosto, a ginasta conquistou três medalhas de ouro no Torneio Regional Centro-Oeste de Ginástica Rítmica, em Palmas (TO), outro feito inédito para a ginástica sul-mato-grossense.

“Há anos a Assumagir trabalha com o objetivo de inserir a ginástica rítmica sul-mato-grossense no cenário nacional e este ano isso foi possível. Isso representa a evolução da nossa ginástica e a certeza de que estamos no caminho certo”, pontuou Ianka.

Na avaliação da fundadora e presidente da Assumagir, Maria Justina Gimenez, o bronze em São Bernardo do Campo representa um marco e um fator motivacional para alavancar a modalidade em Mato Grosso do Sul.

“É a esperança de novas conquistas e de reconhecimento. Mostramos que temos potencial”, afirmou Maria, acrescentando que a viagem ao interior de São Paulo apenas foi possível por causa do apoio da Fundesporte. “Esse apoio colaborou para a realização do sonho de uma pequena ginasta, que trabalha com dedicação para a grandeza do nosso esporte. Iniciativas como as da Fundesporte nos fortalece e nos faz acreditar na responsabilidade social do nosso Estado com as nossas crianças”, acrescentou a dirigente, em opinião compartilhada por Ianka Soares, que também definiu o apoio da Fundesporte como fundamental.

Objetivo: seleção brasileira

A presidente da FGMS (Federação de Ginástica de Mato Grosso do Sul), Elaine Mitsuko Nagano, evidencia que a ginástica rítmica sul-mato-grossense caminha para o sucesso. Para ela, o próximo passo é ter uma atleta do Estado na seleção brasileira.

“Esse é o sonho de todo o pessoal que trabalha com a modalidade em Mato Grosso do Sul e estamos caminhando para isso. A medalha histórica da Lívia é um sinal positivo. A Fundesporte tem papel fundamental nestes expressivos resultados, pois ajuda com materiais, custeio de viagens, patrocínio cursos, então, é uma parceria muito grande. Talvez, sem esse apoio, a gente não saberia como continuaríamos a desenvolver o trabalho ou despontar nacionalmente. Tudo o que a gente precisa, a Fundesporte disponibiliza. Então, agradecemos por esse incentivo à modalidade”, celebrou Elaine.