Ciclistas do Pantanal realizarão passeio que une amor pelo esporte à responsabilidade social em Miranda

Está marcado para o próximo domingo (25), em Miranda, município distante 73 quilômetros de Aquidauana, um passeio especial promovido por ciclistas do Pantanal. Unindo o amor pela atividade esportiva à responsabilidade social, o grupo busca chamar a atenção para a importância do apoio a projetos de educação desenvolvidos pelo Ipedi (Instituto de Pesquisa da Diversidade Intercultural).

O passeio terá como ponto de partida a Praça Agenor Carrillho, no centro de Miranda, ao lado de prédios históricos como a Igreja Matriz, tombada pelo Patrimônio Histórico Estadual, a partir das 07h. O trajeto possui cerca de 15 quilômetros e terminará na aldeia indígena terena Babaçú, onde os ciclistas serão aguardados com expectativa.

Ao longo do trajeto, os participantes poderão contemplar as paisagens rurais típicas da região pantaneira de Miranda. Na recepção da aldeia, estão previstas atividades de confraternização começando pela dança indígena terena, exposição de artesanato e atividades para toda a família em projetos de educação e cultura do Ipedi que participarão do encontro.

O Instituto de Pesquisa da Diversidade Intercultural é uma das organizações participantes da campanha de financiamento coletivo Abrace o Brasil, realizada pela organização Brazil Foundation e que arrecada recursos para projetos sociais para 80 organizações de todo o País. Cada organização participante tem um mote para sua campanha, e a do Ipedi é Abrace a Educação e a Cultura no Pantanal.

“O passeio vai ajudar divulgar a campanha de arrecadação de recursos do Ipedi e dar visibilidade aos projetos, oportunizando que os ciclistas conheçam iniciativas que estão transformando a vida de moradores das comunidades pantaneiras através da educação”, disse a presidente do Ipedi e apaixonada pelo ciclismo, Denise Silva. “Não cobraremos inscrição, apenas as pessoas que quiserem podem fazer a doação simbólica de R$ 5,00”, explicou ela.

Doações feitas por meio da internet serão repassadas à instituição, que vai aplicar o dinheiro arrecadado nos projetos que desenvolve, entre eles o Barco de Letras – projeto que alfabetiza pescadores ribeirinhos e que foi um dos premiados pela Natura, em reconhecimento nacional pelo impacto social que causa em Miranda. (*Fotos: trajeto possui cerca de 15 quilômetros e termina na aldeia indígena terena Babaçú – Ilustrativa e Reprodução)