Após anunciar recursos, ministro da Saúde elogia projetos do Estado e municípios de MS

Conforme anunciado por Mandetta, serão liberados R$ 167 milhões para investimentos em custeio, compra de equipamentos, construção e reformas de unidades em mais de 50 municípios, incluindo Aquidauana e Anastácio

Mandetta elogiou os projetos desenvolvidos em Mato Grosso do Sul - Saul Schramm

Para o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a liberação de R$ 167 milhões em recursos para Mato Grosso do Sul é resultado da boa gestão e da elaboração de bons projetos do Estado e dos municípios que chegaram ao ministério sob sua responsabilidade.

O valor será destinado a investimentos em custeio, compra de equipamentos, construção e reformas de unidades em mais de 50 cidades, incluindo Aquidauana e Anastácio. A solenidade de assinatura de convênios entre o Estado, União e municípios aconteceu nesta segunda-feira (22), em Campo Grande.

“Se estão saindo os projetos de Mato Grosso do Sul é porque são bons projetos. Se estão saindo bons projetos é porque são bons gestores. É porque têm zelo com a coisa pública, sabem aonde querem chegar e têm boas equipes. Assim, a gente consegue fazer a soma de esforços e conquistar esses resultados”, elogiou o ministro Mandetta.

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, a conquista dos novos recursos para os municípios sul-mato-grossenses é fruto do esforço de vários meses das equipes técnicas da Secretaria de Estado de Saúde e do Ministério da Saúde.

“São recursos que há muito tempo estavam sendo solicitados, habilitações que demandaram, em alguns casos, até dois anos”, ressaltou o secretário.

Geraldo lembra que os recursos que serão destinados aos municípios do Estado representam a chegada de melhoria na prestação de diversos serviços aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde).

“A partir deste momento, R$ 16 milhões anuais vão possibilitar aos municípios terem condições de manejarem melhor seus orçamentos para a saúde e investir recursos próprios antes comprometidos com a saúde, com outras ações”.

O secretário ainda citou a importância da mobilização da bancada federal, tanto da legislatura passada quanto da atual, na viabilização de emendas para a área de saúde. Através da atuação dos parlamentares, 44 municípios vão receber R$ 31,1 milhões, oriundos de emendas impositivas, e 22 cidades terão R$ 18,5 milhões, propostos pela bancada como emendas autorizativas, para reforço no atendimento da atenção primária.