Atentado em escola da Grande São Paulo repercute durante sessão na Assembleia de MS

Deputados Professor Rinaldo e Gerson Claro lamentaram o atentado e cobraram ação do Poder Público

Durante a sessao plenária desta quarta-feira (13), os deputados Professor Rinaldo (PSDB) e Gerson Claro (PP) lamentaram o atentado ocorrido na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, região da Grande São Paulo. Dois ex-alunos do colégio – um homem e um adolescente encapuzados – entraram no local e mataram sete pessoas a tiros, sendo cinco alunos e duas funcionárias. Em seguida, a dupla cometeu suicídio. O proprietário de uma loja de veículos próxima ao local, que era tio de um dos assassinos, também foi morto.

“É com profundo sentimento de tristeza que venho à tribuna lamentar o massacre que houve naquela escola. Achamos que tragédias como essa estão muito distantes, mas, na verdade, estão bem perto de nós”, disse o Professor Rinaldo.

Na opinião do parlamentar sul-mato-grossense, o atentado ocorrido em Suzano deixa claro a omissão do Poder Público com relação às ações sociais destinadas especialmente aos adolescentes. Ele acredita ser necessário destinar recursos para atividades esportivas, culturais e artísticas durante os períodos de contraturno escolar.

“O Poder Público deixa a desejar e nossas crianças e adolescentes se tornam presas fáceis de delinquentes, pedófilos e etc.”, analisou.

A atuação mais responsável da imprensa foi outro alvo de cobrança por parte do Professor Rinaldo, pois, segundo o tucano, trata-se de um segmento que também contribui diariamente para a formação cidadã. Ele reiterou que “o caminho da mudança é pela educação”.

“Quando estruturarmos os mecanismos de prevenção teremos certamente uma sociedade mais equilibrada”, finalizou.

As mortes em Suzano também foram lamentadas por Gerson Claro. Ele destacou que crianças e jovens utilizam a internet de forma indiscriminada. Para o parlamentar do PP, são necessários mecanismos de controle e a valorização da família.

“O que houve é muito triste. Hoje, a nossa juventude só assiste e se informa pela internet. Temos que ter alguma regulação disso a nível nacional, além de restaurar os valores familiares”, afirmou Gerson. (*Foto: Professor Rinaldo e Gerson Claro acreditam que atentado evidencia omissão do Poder Público – Luciana Nassar/ALMS)