CGU aponta MS como líder do ranking de transparência no Brasil

Estado também tem nota bem acima da média nacional, diz Controladoria-Geral da União

Em dados divulgados nesta terça-feira (26), a CGU (Controladoria-Geral da União) apontou Mato Grosso do Sul como o líder do ranking de transparência no Brasil, com nota 9,64. O reconhecimento é atribuído a um novo método de avaliação, aplicado entre julho e novembro de 2018, chamado de EBT 360° (Escala Brasil Transparente – Avaliação 360), considerado como inovador na tradicional metodologia de avaliação da transparência pública.

Além de contemplar a transparência passiva, a EBT 360° também inclui a transparência ativa (publicação de informações na internet), segundo o controlador-geral de Mato Grosso do Sul, Carlos Eduardo Girão de Arruda.

“Mais do que verificar o cumprimento da Lei de Acesso à Informação, ela [EBT 360°] analisa boas práticas – como acompanhamento de obras públicas, com passo a passo, e publicações de informações sobre receitas e despesas. Essa metodologia é mais ampla e mais profunda em termos de transparência”, destaca o controlador-geral.

Na avaliação do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a nova conquista estadual revela que o Governo está no caminho certo.

“Transparência é um compromisso do nosso Governo, é incentivo para a população participar ativamente da nossa gestão. Essa nova avaliação da CGU reconhece nossos esforços para uma administração eficiente em Mato Grosso do Sul”, comemora o governante.

As notas de todos os estados e municípios avaliados podem ser conferidas no Portal da Transparência da CGU. No topo do ranking com 9,64, Mato Grosso do Sul está à frente do Distrito Federal (9,62), Ceará (9.47), Santa Catarina (9,4), Pernambuco (9,4) e Rio Grande do Sul (9,32). O Estado também tem nota bem acima da média nacional, que é de 8,26.

Histórico positivo

Destaque no Centro-Oeste e no Brasil, Mato Grosso do Sul vem de uma sequência de notas positivas em avaliações da CGU relacionadas à transparência (que só levam em consideração a transparência ativa). O Estado saiu de uma nota 2,5 em 2015 para 10 em 2017 – crescimento de 300%.

Conforme a avaliação da Rede de Controle, composta por 16 instituições, a nota de MS saltou de 1,4 em 2015 para 10 em 2016 e 2017 – crescimento de 614%. Fazem parte da Rede de Controle a CGU, a AGU (Advocacia Geral da União), o MPMS (Ministério Público Estadual), a PF (Polícia Federal) e o TCU (Tribunal de Contas da União). (*Foto: ranking foi divulgado pela Controladoria-Geral da União – Divulgação)