Em live, Bolsonaro fala sobre receber pessoalmente título de Cidadão de Nioaque

Assunto foi levantado pela senadora Soraya Thronicke, relatora-revisora da MP (Medida Provisória) da Liberdade Econômica, que foi um dos temas da live

Bolsonaro ao lado da senadora Soraya Thronicke - Reprodução

Em novembro do ano passado, a Câmara de Vereadores de Nioaque, município distante 91 quilômetros de Aquidauana, aprovou, por unanimidade, o projeto que concede o título de Cidadão Nioaquense ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Nesta quinta-feira (12), em live transmitida ao vivo pelas redes sociais, ele comentou sobre o assunto durante a participação da senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), relatora-revisora da MP (Medida Provisória) da Liberdade Econômica, aprovada na Comissão Mista, que foi um dos temas abordados.

Após parabenizar a senadora pelo trabalho à frente da MP e lembrar do período em que residiu em Mato Grosso do Sul, dizendo ser “um Estado que mora no seu coração”, Bolsonaro foi perguntado por Soraya sobre a possibilidade de receber pessoalmente a honraria concedida em Nioaque.

“No ano passado eu estive lá, aquele aeroporto está funcionando em Nioaque?”, questionou o presidente. “Quem sabe a gente não vai de avião de Campo Grande, dá uma chegada lá, eu acho que o gesto é muito importante. Nioaque é uma cidade histórica”, continuou Bolsonaro, que ainda elogiou o churrasco do Estado. “Se o japonês comer um churrasco com carne brasileira, em especial, de Mato Grosso do Sul, ele se apaixona”.

Bolsonaro serviu o 9º Grupo de Artilharia, em Nioaque, no período de 1979 a 1981, e é comum ele recordar do município do interior sul-mato-grossense. Em vídeo gravado em setembro do ano passado, após ser esfaqueado, o então candidato a presidente apareceu ao lado do terena Enoch, que foi soldado em Nioaque e serviu junto com Bolsonaro, que era segundo tenente à época.