Frente parlamentar para combater depressão e suicídio será lançada em agosto na Assembleia

Sob coordenação do deputado estadual Marçal Filho, frente terá como ferramenta o fortalecimento das políticas públicas em defesa da saúde mental

Deputado Marçal Filho é coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental e Combate à Depressão e ao Suicídio - Luciana Nassar/ALMS

No mês de agosto, a pauta da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul inclui o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental e Combate à Depressão e ao Suicídio. Sob coordenação do deputado estadual Marçal Filho (PSDB), a iniciativa terá como ferramenta o fortalecimento das políticas públicas em defesa da saúde mental.

“Vamos criar um amplo debate em todo o Estado para buscar mecanismos, principalmente, de combate à depressão e ao suicídio”, explica o parlamentar tucano.

Ele diz que é muito importante o Estado criar orçamento específico para enfrentar a questão, assim como acontece com outros problemas de saúde pública, como é o caso da dengue, além de lidar com algo que ainda é considerado tabu.

“Temos que fazer com que a sociedade sul-mato-grossense fale sobre suicídio, a depressão, mas que fale de uma maneira correta”.

Dados do Ministério da Saúde apontam que Mato Grosso do Sul soma nove mortes por suicídio em cada 100 mil habitantes, número preocupante e que representa a terceira colocação entre todos os estados brasileiros, com as maiores taxas dessa mortalidade desde 2015. Em decorrência do cenário que assola o País, foi implementado, no último mês de abril, o comitê estadual para atuar na prevenção dos atentados que as pessoas cometem contra a própria vida. A frente parlamentar da Assembleia, de acordo com Marçal Filho, vai ser parceira para levar ações e propor soluções para esse caso em Campo Grande e no interior.

Também está inserido, na atuação da frente parlamentar, o combate à depressão, doença que, até 2020, segundo a a OMS (Organização Mundial de Saúde), será a mais incapacitante do planeta. Somente em Mato Grosso do Sul, a depressão e a ansiedade geraram 3.037 pedidos de afastamento do trabalho em 2018, junto ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). O número é 24,41% maior do que em 2017, quando 2.441 pessoas pediram para serem afastadas do trabalho por conta dos transtornos.

Projeto de Lei

Com o objetivo de fortalecer a causa, tramita, na Assembleia Legislativa, PL (Projeto de Lei) de Marçal Filho que institui a “Campanha permanente de informação, prevenção e combate à depressão” em Mato Grosso do Sul. A proposta busca manter de forma constante e ativa as ações de combate à doença. A OMS aponta que mais de 350 milhões de pessoas sofrem com transtornos em todo o mundo.

“É uma doença silenciosa e que afeta pessoas de todas as idades. Muitos não buscam ajuda, sofrem calados e, por se tratar de um problema que se agrava aos poucos, o diagnóstico pode vir em um quadro já avançado, o que torna o tratamento mais complexo. Por isso, é preciso que a campanha seja permanente”, alerta o deputado.

Por meio da proposta, a ideia é ampliar a informação e o conhecimento sobre a depressão, suas causas, sintomas, os meios de prevenção e de tratamento, além de incentivar a busca pelo diagnóstico e tratamento dos pacientes, combatendo o preconceito que cerca quem sofre da doença.