Projeto de revitalização do Parque das Nações Indígenas terá início em junho

Espaço será revitalizado por meio de parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Campo Grande

Detalhes do projeto foram apresentados por Verruck nesta quinta-feira - Kelly Venturini/Chico Ribeiro

O mês de junho marcará o início do projeto de revitalização do PNI (Parque das Nações Indígenas), na Capital, por meio de uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Campo Grande. Em coletiva à imprensa realizada nesta quinta-feira (23), na sede da Governadoria, o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), deu detalhes sobre o projeto, que envolve o desassoreamento dos lagos de contenção do espaço, assim como o conjunto de obras para solucionar o problema de assoreamento da cabeceira da Microbacia do Córrego Prosa e o lançamento de sedimentos na rede de drenagem do Córrego Reveilleau, na área do PNI. A coletiva contou com a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), do prefeito Marquinhos Trad (PSD) e outras autoridades.

“O Parque das Nações Indígenas é um espaço de toda a população. As soluções conjuntas que estamos apresentando colocam o Parque onde ele tem de estar, como uma referência para o turismo, para as pessoas, para a qualidade de vida, garantindo segurança e o uso público que a população tanto precisa e tanto deseja”, destacou o secretário. Com 119 hectares, a área de lazer tem cerca de 2 mil pessoas circulando de segunda a sexta-feira, número que aumenta significativamente aos sábados e domingos, quando de 5 a 6 mil pessoas visitam o local. “Importante lembrar que, no ano passado, o Governo realizou obras nos seis Núcleos de Apoio de Base [NABs] existentes no Parque, reformando banheiros, estruturas, portaria, cerca, além da recuperação, pintura e iluminação das quadras, num total de R$ 1,2 milhão em investimentos”, completou o titular da Semagro.

O convênio entre o Governo do Estado e a Prefeitura campo-grandense proporcionará o desassoreamento e recuperação dos lagos de contenção do Parque das Nações Indígenas. Será repassado o valor de R$ 1,5 milhão, recursos do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), oriundos de compensação ambiental. A responsabilidade pela execução dos serviços ficará a cargo da Administração Municipal, por meio da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos). Após o início, em junho, a previsão é de que os serviços sejam concluídos em até 120 dias.

“Vamos iniciar a retirada da areia pelo lago menor, para depois limpar o lago maior. Essa areia será levada para uma área próxima ao autódromo”, explicou Rudi Fioreze, da Sisep. A Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) emitirá as licenças para a escavação e a destinação dos sedimentos nos lagos do Parque das Nações Indígenas. Após o término do desassoreamento, a Sisep também promoverá a recuperação de danos físicos causados ao local (gramados, meio fio, pavimentação, gradis e outros), além de providenciar a destinação da areia retirada da área.

Com relação às obras no entorno do Parque das Nações Indígenas, que envolvem as intervenções na cabeceira da Microbacia do córrego Prosa e o lançamento na rede de drenagem do Córrego Reveilleau na área do Parque, vão acontecer conforme Termo de Cooperação Mútua, firmado entre as administrações estadual e municipal, através da Semagro, Imasul, Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), Semadur, Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano) e Sisep. As ações previstas no termo serão executadas em até 24 meses.

De acordo com o que estabelece o Termo, a Agesul realizará os estudos e o projeto técnico para as obras de controle da erosão na região da cabeceira do Córrego Joaquim Português e Parque do Prosa. Também irá recuperar as pontes do Parque das Nações Indígenas e pontos de erosões sob a pista no Parque Estadual do Prosa.

As intervenções de proteção no lançamento do Córrego Reveilleau terão a execução sob responsabilidade da Sisep, com o intuito de detenção de sedimentos e controle de cheias desse curso d’água, na Avenida Mato Grosso. No local será construído um ‘piscinão’, com capacidade de contenção de 22 mil metros cúbicos de água.

“Essa obra na Avenida Mato Grosso está em fase final e, além de dar uma solução por muitos anos ao problema de assoreamento nos lagos do Parque das Nações, também deve reduzir as enchentes na Via Park. Esse projeto da bacia de contenção tem recursos garantidos pela Caixa”, concluiu Rudi Fioreze.

O convênio e o Termo de Cooperação Mútua foram assinados pelo governador Reinaldo Azambuja, prefeito Marquinhos Trad, secretário Jaime Verruck, da Semagro, secretário Murilo Zauith, da Seinfra, Ricardo Eboli, diretor-presidente do Imasul, e Luís Roberto Martins de Araújo, diretor-presidente da Agesul.