Após encaminhamentos iniciais, CPI da Energisa entra em nova fase e quer periciar medidores de energia

Primeira testemunha foi ouvida na semana passada

Membros da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga a Energisa - Thiago Gonçalves/Assessoria Parlamentar

Depois da realização dos encaminhamentos iniciais, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga a Energisa em Mato Grosso do Sul passa agora a uma atuação mais técnica, com as novas deliberações de seus membros.

Nesta semana, os deputados estaduais que integram os trabalhos devem apresentar orçamentos para contratação dos técnicos em eletrotécnica credenciados pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), que reforçarão os procedimentos de perícia para identificação dos possíveis erros na medição dos relógios da concessionária de energia elétrica.

De acordo com o cronograma de trabalho da CPI, a sessão ordinária desta quarta-feira (19) será aberta ao público e terá início às 14h, na Assembleia Legislativa, em Campo Grande, no Plenarinho Deputado Nelito Câmara.

Na sessão anterior, realizada na semana passada, os parlamentares e advogados da Energisa realizaram, em sigilo, oitiva com a primeira testemunha do caso, o tecnólogo em eletrotécnica industrial que emitiu o parecer técnico determinante para a abertura da CPI na Casa de Leis.

A comissão que investiga a Energisa é composta pelos deputados estaduais Felipe Orro (PSDB, presidente), Barbosinha (DEM, vice-presidente), Evander Vendramini (PP, membro-titular), Capitão Contar (PSL, relator) e Renato Câmara (MDB, membro-titular).