Possível fechamento do Fórum de Coronel Sapucaia preocupa deputados

Parlamentares se reuniram com o prefeito da cidade fronteiriça, Rudi Paetzold (MDB), e o presidente do TJMS, Paschoal Carmello Leandro

Reunião aconteceu na sede do TJMS - Wagner Guimarães/ALMS

O possível fechamento do Fórum de Coronel Sapucaia, inaugurado há quatro meses, preocupa os deputados da ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul). Na tarde desta quinta-feira (16), o presidente da Casa de Leis, Paulo Corrêa (PSDB), e os parlamentares Pedro Kemp (PT), Coronel David (PSL), Barbosinha (DEM), Londres Machado (PSD) e Eduardo Rocha (MDB) participaram de uma reunião com o presidente do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), desembargador Paschoal Carmello Leandro, e o prefeito de Coronel Sapucaia, Rudi Paetzold (MDB), para discutir o assunto.

Localizada na fronteira com o Paraguai, a cidade de Coronel Sapucaia possui cerca de 15 mil habitantes. O fechamento do prédio passou a ser considerado pelo presidente do TJMS por causa de problemas relacionados à segurança – em abril último, um grupo armado com fuzis e escopetas assaltou uma agência bancária no município.

Durante a reunião desta quinta-feira, realizada na sede do Tribunal de Justiça, em Campo Grande, o desembargador Paschoal Carmello atendeu à solicitação dos deputados e decidiu postergar por, pelo menos, mais um mês o fechamento do Fórum.

“Pedimos ao presidente do TJ, e ele aceitou aguardar até o mês de junho para que possamos tentar manter aberto o Fórum de Coronel Sapucaia”, explicou o deputado Paulo Corrêa. Segundo o presidente da ALMS, saídas para a situação ainda serão discutidas em reunião com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “Depois teremos agenda em nível federal”.

Paulo Corrêa também destacou que senadores por Mato Grosso do Sul se comprometeram a discutir o assunto e o problema de segurança na fronteira, de modo geral, com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Para o nosso Estado, é muito importante o enfrentamento com o crime organizado”.

Na avaliação do desembargador Paschoal Carmello, que considerou a reunião como “muito produtiva”, é importante que haja um trabalho conjunto dos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo, com o intuito de buscar solução ao impasse.

“Nossa decisão de desativar a comarca, pelo menos temporariamente, é justamente em razão da falta de segurança. É uma fronteira bastante perigosa e nós precisamos da compreensão de nossas autoridades para garantir segurança aos funcionários do Fórum e à toda população de Coronel Sapucaia”, afirmou o presidente do TJMS.

A reunião também foi elogiada pelo prefeito Rudi Paetzold, que saiu satisfeito do prédio do TJMS.

“A população de Coronel Sapucaia estava muito preocupada com o fechamento do fórum”, relatou o gestor municipal, que considerou que houve, na reunião, avanço significativo para solucionar o problema. “Se caso feche esse fórum será uma perda enorme para nossa cidade. Nós, que estamos na fronteira, precisamos muito essa situação seja resolvida”, completou o prefeito.