MS registra superávit de US$ 163 milhões na balança comercial em janeiro de 2019

Dados constam na Carta de Conjuntura do Setor Externo

Mato Grosso do Sul registrou um superávit na balança comercial – que é a diferença entre as exportações e importações do Estado – de US$ 163 milhões em janeiro de 2019, superando em 39% os US$ 17 milhões verificados no mesmo período de 2018. Os dados constam na Carta de Conjuntura do Setor Externo, elaborada pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

A celulose foi o principal destaque na relação dos produtos exportados, com 53,35% do total exportado em termos do valor e aumento de 41,31% em relação ao mesmo período no ano passado. Em relação ao volume, houve aumento de 27,94%. O segundo lugar foi ocupado pela carne de bovinos e outros produtos de carne, com 14,37% de participação, com queda em termos de valor de 15,35% em relação a janeiro de 2018. Em termos de volume, houve queda de 2,71% comparado a janeiro de 2018.

O minério de ferro havia revertido a queda nas exportações verificada em 2016, com aumentos expressivos em 2017 e 2018, mas, no mês de janeiro de 2019, o produto registrou queda de 34,1% comparado com o mesmo período do ano passado. Em termos de volume exportado houve queda de 34,7%.

“O crescimento das exportações de celulose é um dos destaques de janeiro. O produto chegou a representar 53% da pauta em janeiro, com crescimento de 41%. Ao mesmo tempo, também verificamos uma queda nas importações de 15%, sendo 23% para as importações de gás boliviano”, comentou o secretário Jaime Verruck, da Semagro.

Ainda conforme os dados que constam na Carta de Conjuntura, houve uma desconcentração de mercados destino, com a China passando para 28% se comparado aos 35% que representava em janeiro de 2018, com aumento de participação de Itália (60,78% de crescimento), Países Baixos (60,38% de crescimento) e Estados Unidos (97,21% de crescimento). O município de Três Lagoas lidera o ranking de exportações nos municípios do Estado, com 65% de participação, 39,91% maior que o verificado em janeiro de 2018. (*Foto: celulose apareceu como primeiro produto na pauta de exportações de janeiro de 2019 – Divulgação)